Feminismo: as mulheres nas propagandas e na mídia

Venho por meio desse tentar me redimir de ser uma blogueira relapsa e ausente, mas faz tempo que não tenho mais inspiração para o meu blog. Vou tentar pelo menos manter essa chama acesa, nem que seja mensalmente. Pensando nisso, decidi fazer uma análise de algumas propagandas que tem a mulher como figura principal.

Antes de tudo, assista esse vídeo:

BLOOD from Jones+Tino on Vimeo.

O quê você sentiu? Te tocou de alguma maneira? Te fez refletir? Achou que era comercial de marca de roupas ou equipamento esportivos? E depois percebeu que era uma campanha de absorvente?

Perceba que o vídeo exalta a mulher em todas suas formas, que o sangue nos é normal e faz parte do nosso cotidiano, e que podemos lidar com ele. O filme é escuro com trilha dramática, mas sem caráter novelesco. São garotas kickass sem medo de ir além, de superar barreiras, vencer limites. Sem medo de sangrar!

Outro vídeo foi veiculado ontem, em outro contexto e outra campanha (assista até o final):

Confesso que no primeiro momento, eu achei legal. Mas depois, desconstruindo, analisando, achei bem bobo. Tipo, a Heineken quer se posicionar de maneira bem oposta a da campanha da Champions League de 2014, em que o vídeo dava pras mulheres “oportunidade” de uma promoção de sapatos pra elas “deixarem” os namorados em paz pra ver a final do campeonato. Não precisamos dizer que foi um tiro no sapato pé!

Agora, a marca de cerveja tenta se redimir, fazendo uma pegadinha com os homens, mais uma vez reafirmando o machismo deles, que preferem esconder a verdade das namoradas e, por fim, são vingados por elas. Novamente, a mulher não é a protagonista, é antagonista da história, e se o cara não “se comportar”, ela vai puní-lo por seus atos. A ideia é querer falar que a mulher também curte cerveja e futebol, mas no fim, ficou parecendo que elas queriam apenas mostrar pros caras que eles foram babacas e elas também seriam. Sei lá… não me representou!

marta-selecao-brasileira
E falando em mulher e futebol… Marta é a maior artilheira da Seleção Brasileira!! São 98 gols com a camisa amarela do Brasil.

Batman vs Superman: figurinos do filme

Batman vs Superman figurinos
No dia 24 de março, estreou nos cinemas brasileiros Batman Vs Superman – A Origem da Justiça. O filme trata do confronto entre os personagens Batman/Bruce Wayne (Ben Affleck) e Superman/Clark Kent (Henry Cavill). Mas apesar da história ser toda focada nos personagens saído dos quadrinhos da DC, o quê mais me chamou a atenção foi o figurino. Isso mesmo, os figurinos!

Michael Wilkinson é pessoa responsável por criar os figurinos no filme de heróis, mas parece que o profissional se especializou nesse segmento, já que ele esteve em produções como O Homem de Aço, Jonah Hex – Caçador de Recompensas, Watchmen: O Filme , Sucker Punch: Mundo Surreal, Tron: O Legado , O Exterminador do Futuro – A Salvação. Cinema de heróis e de ação fazem parte do universo de roupas criados por ele.

Nessa nossa trama ambientada no universo da DC, Batman está mais velho e amargurado. Sou roupas como não poderiam deixar de ser, são escuras com tecidos pesados com ternos de lã e sobretudos. Os cortes do figurino desse personagem lembram muito o desenho animado The new batman adventures (1997 – 1999).

Batman vs Superman figurinos: armadura

Já a armadura do Cavaleiro das Trevas nos lembra muito o personagem das da série Batman: The Dark Knight Return.

Batman vs Superman figurinos: clark kent

Já Superman (Henry Cavill) aparece naquela dualidade bem conhecida: o repórter nerd x o super-herói indestrutível. A roupa do personagem ganhou mais saturação e o azul e vermelho ficaram bem vivos. Por outro lado, as roupas de Clark Kent são escuras e nada atraentes.

Batman vs Superman figurinos: Diana Prince

Diana Prince (Gal Gadot) também aparece no longa, antes se vir caracterizada como Mulher Maravilha. A guerreira-amazona em sua identidade secreta é uma pessoa bem elegante e refinada, mas dá pra perceber que os acessórios dourados (colares, brincos e braceletes) se fazem presentes até no figurino do dia a dia.

Batman-Superman-figurino_wonder-woman

Já como Wonder Woman, o figurino é bem mais ligado com o lado guerreira da personagem, em tons mais neutros (nada do vermelho, azul e amarelo que vimos na séries dos anos 1970).

Batman-Superman-figurino_lex-luthor

Por fim, mas não menos importante, está o personagem Lex Luthor. Nesse filme, ele é interpretado por Jesse Eisenberg e está mais para um bilionário excêntrico do Vale do Sílicio (como Mark Zuckerberg – também interpretado por Eisenberg em A Rede Social), do que vilão de saga de super-heróis. Roupas divertidinhas, tênis e combinações inusitadas (jaleco de cientista feito de plástico) estão presentes no look do personagem.

BvS-lex-luthor

House of cards: 7 coisas que todo mundo sentiu na 4ª temporada

House_of_Cards-claire-frank-underwood

A Netflix lançou, de uma só vez, todos os episódios da 4ª temporada de House of Cards. Eu, que estava doente e só podia ficar deitada, terminei os 13 capítulos em apenas dois dias, o que me deixou triste (em pensar que só vou ter novos episódios ano que vem) e ansiosa (por ter que digerir tanta coisa em pouco tempo).

A volta de Frank e Claire Underwood nos deixou com uma série de reações, foram muitos altos e baixos pra apenas uma temporada. Quando a história parecia ir para um lado, vinha a trama e te levava pra outro. Dessa maneira, acredito que as pessoas tiveram (ou ainda terão) as mesmas 7 reações:

CUIDADO!! Vai ter uma chuva de spoilers!!

1 – Claire já chega no primeiro episódio se posicionando e você pensa: “Por que ela quer ir tão além, por que ela não pode aceitar o que já tem e apoiar Frank?”

house-of-cards--frank-claire-underwood

Mas ao longo dos episódios, a gente vai entendendo as ambições dela (mesmo que tortas) e queremos que ela seja, sim, reconhecida como uma pessoa igual ao Frank.

2 – Logo no início da 4ª temporada, você pensa: “Gente, o Lucas, não lembrava mais dele? Caraca, ele vai dar muito trabalho pro Frank nessa temporada de House of Cards, hein?”

house-of-cards-lucas

3 – Ah, que legal, Frank e Meechum vão ser mais amigos nessa temporada. Que legal Frank ter um amigo agora que a Claire está longe dele.

house-of-cards-frank-meechum

4 – No quarto episódio de House of Cards tudo parece bem até que… “OMG! Alguém levou um tiro?! Frank levou um tirou? Ok, ele não vai morrer, claro!! COMO ASSIM MEECHUM LEVOU UM TIRO????

house-of-cards-meechum

5 – Tá sei que o Frank não vai morrer, mas como ele vai sair dessa? Putz, ele perdeu boa parte do fígado e precisa de um transplante, quem eles vão ter que matar pra ele ter esse fígado?

house-of-cards-frank-underwood

6 – Como assim o Joel Kinnaman é um político encantador, bonito e tipo um Kennedy? Gente, o Conway pra mim sempre vai ser o policial viciado de The Killing. Não me convence!

house-of-cards-conway

7 – No final da temporada a gente se depara com a seguinte informação: “Ok, estava tudo indo quase tranquilo até que o jornalista Tom Hammerschmidt resolveu investigar as ideias que Lucas deixou e isso vai dar merda.”

house-of-cards-frank-underwood-2

Tanto deu que Hammerschmidt decide publicar a história, com alguns depoimentos que afirmam que Frank fez diversos jogos políticos (alguns ilegais) para chegar a presidência.

house-of-cards-claire-underwood

Pergunta bônus: “Como eles vão sair dessa?”

house-of-cards-4-temporada

Feminismo pra quê?

Feminismo pra quê?

Feminismo pra quê?

Seria tão bonito se no mundo as pessoas usassem suas influencias pra ajudar outras pessoas menos privilegiadas. Que usassem seus espaços na mídia pra apoiar movimentos de empoderamento. Mas uma pessoa, com uma série de privilégios, não consegue ver há um palmo de distância, e isso me entristece. Não tem como ter uma visão míope do privilegio e achar que todos são privilegiados assim também. Achar que o machismo é “apenas” um fiu fiu na rua ou um “minha namorada não pode usar roupa decotada”. O machismo mata!

Mata milhares de mulheres que apanham até a morte de seus companheiros. Mata mulheres que são estupradas e violentadas (por desconhecidos e conhecidos também). Mata mulheres que são abandonadas com filhos ainda pequenos e precisam se sustentar (e as crianças). Fico triste de ver pessoas que acham que o feminismo é o contrário de machismo (e não é, o oposto é o femismo).

Kesha e Fernanda Torres foram assuntos da semana no que se refere ao machismo nosso de cada dia

Kesha e Fernanda Torres foram assuntos da semana no que se refere ao machismo nosso de cada dia

Se você acha que a “questão da mulher” está bem resolvida e que não existe machismo no nosso mundo e no nosso país, saiba que: “Nos dez primeiros meses de 2015, do total de 63.090 denúncias de violência contra a mulher, 31.432 corresponderam a denúncias de violência física (49,82%), 19.182 de violência psicológica (30,40%), 4.627 de violência moral (7,33%), 1.382 de violência patrimonial (2,19%), 3.064 de violência sexual (4,86%), 3.071 de cárcere privado (1,76%) e 332 envolvendo tráfico (0,53%).Os atendimentos registrados pelo Ligue 180 revelaram que 77,83% das vítimas possuem filhos (as) e que 80,42% desses (as) filhos(as) presenciaram ou sofreram a violência”.
Fonte: Dados nacionais sobre violência contra as mulheres

Além disso, “a violência contra a mulher não é um fato novo. Pelo contrário, é tão antigo quanto a humanidade. O que é novo, e muito recente, é a preocupação com a superação dessa violência como condição necessária para a construção de nossa humanidade. E mais novo ainda é a judicialização do problema, entendendo a judicialização como a criminalização da violência contra as mulheres, não só pela letra das normas ou leis, mas também, e fundamentalmente, pela consolidação de estruturas específicas, mediante as quais o aparelho policial e/ou jurídico pode ser mobilizado para proteger as vítimas e/ou punir os agressores”, de acordo com os dados do documento Mapa Da Violência 2015 – Homicídio De Mulheres No Brasil.

E pra alguns “espertinhos de plantão”, a violência contra a mulher não é apenas agressão física, estupro, etc. O abuso contra mulheres pode ser: Humilhar, xingar e diminuir a autoestima, Tirar a liberdade de crença, Fazer a mulher achar que está ficando louca, Controlar e oprimir a mulher – veja mais nessa matéria Violência contra mulher não é só física; conheça outros 10 tipos de abuso.

beyonce-feminista

É triste ver que as pessoas tem medo e vergonha de se dizerem feministas, mas até a Beyoncé já se posicionou como tal, você também pode!

David Bowie: Lady Gaga faz homenagem ao cantor no Grammy

Lady Gaga faz tributo a David Bowie, no Grammy 2016

Lady Gaga faz tributo a David Bowie, no Grammy 2016

Ontem (dia 15/2), no Grammy, Lady Gaga fez a aguardada apresentação-tributo a David Bowie. A cantora, que iria fazer uma retrospectiva dos próprios hits num primeiro momento, decidiu mudar e homenagear Bowie. O artista morreu em 10 de janeiro de 2016, deixando um legado artístico de mais de 40 anos. Assim, a cantora teve um mês pra recriar tudo do zero, tanto figurino, como cenografia, como ensaiar o repertório. O show é bem tecnológico (e patrocinado pela Intel) e faz um apanhado dos sucesso do artista britânico. Achei a intenção boa, mas senti Gaga meio desloca. No início, com ajuda de projeções, ela vai se transformando em alguns personagens criados por Bowie, como Ziggy Stardust.

Ao fim, quando aparece a imagem de Bowie, uma lágrima insiste em cair pois sabemos que o mundo nunca mais vai ter um artista tão completo, versátil e talentoso como David Robert Jones.

Montagem que achei no Facebook

Montagem que achei no Facebook

A cantora sempre se inspirou no músico, isso não é segredo. Logo no início de sua carreira, a loira apareceu no seu clipe Just Dance com um raio desenhado no rosto. Fácil identificar a referência a David Bowie. Apesar do figurino extravangante (no bom sentido), sentido que “dona Lady” não estava tão à vontade no palco, pode ser a emoção de representar um ícone importante da música mundial, mas tenho que bater palmas pra jovem! Em outros momentos, ela forçou um pouco em tentar criar um personagem (à la David), no entanto, pareceu caricato.
Porém, o esforço não foi em vão. Continue assim, Gaga, desse jeito você vai mais longe!

Barbie ganha novos corpos, cabelos e tons de pele

barbie-nova

A primeira coisa que eu comprei com o dinheiro do meu trabalho foi um Barbie. Uma Barbie festa, com roupa cheia de babados e cor de rosa. Eu sempre amei a boneca, sempre achei ela independente e revolucionária. E agora, mais do que nunca, a personagem que fez parte da infância de muitas meninas, e também meninos, ganha uma evolução batizada de ‪#‎TheDollEvolves‬.

Sim, o tão criticado corpo da Barbie, que sempre foi apontado como irreal, ganhou novos contornos, e novas cores. Para anunciar a novidade, a boneca estampa a capa da revista da TIME com a frase: “Agora podemos parar de falar do meu corpo?”.

barbie-TIME

A boneca criada pela Mattel há 57 anos sempre apostou em outras etnias, mas isso nunca foi o carro chefe da marca. Porém, agora, a Barbie, além de ganhar versão plus size (são quatro versões de corpos), ela também tem sete tons de pele, com 22 cores de olhos, 30 cores de cabelo e 24 penteados. Ou seja, viva a diversidade!

A empresa dona da boneca tinha relutância de mudar seu mote principal que é a possibilidade de ter um padrão nas roupinhas. Quem aí não ia nas feirinhas da vida comprava várias roupas de Barbie genéricas, que eram mais lindas que as originais? Mas a Mattel descobriu que as crianças davam muito importância aos cabelos e tons de pele que a diferença nas silhuetas e isso fez com que fosse criado essa variedade de Barbies.

Isso tudo serve pra mostrar que empresas grandes, ligadas nas novas tendências de mercado e no novos comportamentos do seus consumidores mudam pra se adaptar. Foi-se o tempo que o cliente que tinha que ir em direção a marca, hoje, com a grande concorrência pela atenção e dinheiro do comprador, quem não se diversifica acaba passado pra trás (mesmo que isso aconteça lentamente). Se durante alguns anos questionou-se o corpo da Barbie, por não representar a realidade, ou ainda, pelo fato de ela não ser ponto de identificação de várias meninas que não loiras e magras, agora, a boneca mostra que quer ficar no mercado por muitos anos ainda.

A revista TIME fez uma reportagem especial sobre a mudança da Barbie:

Barbie’s Designers Explain What Convinced Them to Finally Chan…

Inside the most dramatic change in Barbie's 57-year history.

Posted by TIME on Thursday, January 28, 2016

Arquivo X está de volta | o quê eu achei

fox-mulder-dana_scully-x-files-arquivo-x-poster

Arquivo X volta com sua 10ª temporada, quase 14 anos após o “fim da série”. Se em 2002, os fãs ficaram inconsoláveis com o final da saga de Mulder e Scully, os anos seguintes foram bons e trouxeram filmes do programa, porém, nada que se comparasse com um novo ano com episódios inéditos (seis capítulos inéditos no total).

A noite de 25 para 26 de janeiro de 2016 marcou a volta do programa criado por Chris Carter. Em dois episódios super dinâmicos e cheio de revelações, Fox Mulder se rencontra com Dana Scully pra desmascarar uma conspiração ainda maior (alienígena ou do governo, assista pra saber a resposta). Sem entrar em spoilers, o seriado volta com sua abertura e trilha originais. Além disso, Arquivo X traz algumas referências ao passado, como a sala de Mulder cheia de lápis fincados no teto, o pôster “I Want to Believe” e frases saudosistas. Um prato cheio para os fãs.

fox-mulder-dana_scully-x-files-arquivo-x

Aqueles que não acompanharam toda a série podem ver sem problemas, pois as coisas são bem explicadas (mas é claro que você tem que ter uma base de Arquivo X) e muita coisa da trama faz referências a atualidade, como terrorismo, espionagem, vazamento de informações (caso Snowden e Assange). Mas ainda é preciso ter uma introdução pra saber quem é cada personagem que aparece, ou quais assuntos se refere, por exemplo, um cara fumando cigarro, o história da irmã do Mulder, quem é Skinner. Ah, e tem que acreditar nos ETs e teorias da conspiração, pelo menos dentro do programa.

Eu como fã me peguei rindo de piadas que meu namorado não entendeu. Fiquei emocionada com besteiras como um pôster e uma música de abertura. Meus olhinhos brilharam quando Mulder fala “você nunca será APENAS alguma coisa” para Scully.

Que está ansioso para os próximos episódios? o/

arquivo-x

Elenco de Friends: por onde anda?

FRIENDS-REUNION-2016
O elenco depois de Friends!

De tempos em tempos, surgem notícias sobre uma reunião do elenco de Friends, que depois de um tempo não se confirma! A série, que acabou em 2004, ainda coleciona fãs, esses loucos pra ver mais uma vez seus personagens favoritos. Por isso, quando começaram a pipocarem informações sobre um possível encontro da turma de amigos, a internet ficou enlouquecida.

FRIENDS-ENCONTRO

Será que esse pôster é real?

A “volta” do elenco de Frineds não é um retorno oficial da série. A ideia é fazer um especial da NBC de duas horas homenageando o diretor James Burrows. O cara completou a marca de 1000 episódios de seriados dirigidos – sendo 15 de Friends. Assim, o grupo de Nova York se reuniria aos personagens de Will & Grace, The Big Bang Theory, Mike & Molly, Taxi, Cheers e Frasier, em um programa temático homenageando o diretor. Mas parece que um integrante do sexteto não poderá estar presente: Matthew Perry.

Se 12 anos se passaram desde o fim do show, a gente fica curioso pra saber o quê esse pessoal fez nesse tempo. Após abandonar seus personagens, confira por onde anda (e andou) o elenco de Friends:

Jennifer Aniston (Rachel Green)
FRIENDS-jennifer-aniston-rachel-green

Em 2004, quando o programa chegou ao fim, Jennifer era casada com Brad Pitt e queridinha de Hollywood. Mas logo, as coisas viraram de uma maneira inesperada, ela foi tráida pelo marido e passou por um divórcio (em 2005). Só que parece que isso foi apenas combustível pra a atriz se jogar em novos projetos. A estrela deixou a televisão meio de lado e passou a apostar em filmes (principalmente) de comédias. Dizem Por Aí…, Amigas com Dinheiro, Separados pelo Casamento, Marley & Eu, Ele Não Está Tão a Fim de Você, Caçador de Recompensas, Esposa de Mentirinha, Quero Matar Meu Chefe 1 e 2 e esteve no superelogiado Cake: Uma Razão para Viver (pelo qual foi indicada ao Globo de Ouro de Melhor Atriz de Drama).

Matt LeBlanc (Joey Tribbiani)
friends-matt-leblanc-joey-tribiani
Muita gente não sabe, mas o nosso eterno Joey está em um programa de sucesso nos EUA há quatro temporadas. Batizado de “Episodes”, o seriado traz o ator no papel de Matt LeBlanc, em uma versão mais exagerada dele mesmo. Até disso, ele também fez participações no programa de Lisa Kudrow, Web Therapy. Ah, e quem não se lembra do Spin Off de Friends, Joey? O seriado trazia a trajetória de Tribbiani depois de se mudar de Nova York pra Los Angeles, com sua irmã e sobrinho, pra tentar a vida como ator. Não pode-se dizer que foi um completo fracasso, pois durou duas temporadas.

Lisa Kudrow (Phoebe Buffay)
friends-lisa-kudrow-phoebe
Lisa Kudrow tem um seriado chamado Web Therapy. A série começou online, com a história de uma terapeuta virtual e foi comprada pelo canal Showtime. A atriz também fez participação no programa Cougar Town, de Courteney Cox. Além disso, ela teve um papel de destaque na série Scandal, e esteve no filme A Mentira, ao lado de Emma Stone, e faz a voz da personagem Wanda Pierce em BoJack Horseman, prestigiado seriado de animação da Netflix.

Matthew Perry (Chandler Bing)
FRIENDS-MATTHEW-PERRY-CHANDLER-BING

Desde o fim de Friends, Matthew colecionou séries (algumas nem tão bem sucedidas). O ator protagonizou Studio 60 on the Sunset Strip, Mr. Sunshine, Go On: Seguindo em Frente e The Odd Couple. Mas também esteve na estrelado e aclamando seriado The Good Wife. O nosso eterno Chandler ainda fez participação nos programas das amigas Courteney Cox (Cougar Town) e Lisa Kudrow (Terapia Virtual). Além disso, Matthew está ensaiando uma peça, em Londres, ‘The End of Longing’, e não vai comparecer ao encontro dos AMIGOS.

Courteney Cox (Monica Geller)
friends-courteney-cox-monica-geller
Enquanto Friends estava no ar, Courteney participou de grandes produções da época, como a franquia Pânico e Ace Ventura. Mas quando o seriado acabou, a atriz não esteve em filmes tão relevantes, porém, conseguiu emplacar um programa de comédia em 2009: Cougar Town. Antes disso, fez participações em séries como Scrubs, Private Practice e Web Therapy (da amiga Lisa Kudrow. A eterna Monica ainda estrelou o show Dirt, que foi um fracasso e não conseguiu a segunda temporada.

David Schwimmer (Ross Geller)
ross-geller-david-schwimmer
Seu maior papel no cinema, após o fim de Friends, foi a voz da girafa Melman na franquia de animação Madagascar. Assim como os outros amigos, David fez participação nos seriados Episodes (de Matt LeBlanc) e Web Theray (de Lisa Kudrow). Isso sem contar que ele virou um Kardashian! Ou melhor, o ator interpreta Robert Kardashian, o patriarca do clã mais famoso de Hollywood, na minissérie The People v. O.J. Simpson: American Crime Story!

Friends ficou no ar de setembro de 1994 e maio de 2004, nos EUA, e teve 236 episódios em dez temporadas.

UPDATE:

O mais próximo que tivemos de um encontro de Friends foi essa sketch no programa do Jimmy Kimmel.

E essa no programa da Ellen DeGeneres:

UPDATE 2:

Ontem, dia 24, foi gravado o tal especial. Olha só esse cross de Friends com The Big Bang Theory!

friends-encontro-

O programa especial vai ao ar no dia 21 de fevereiro nos Estados Unidos, pelo canal NBC.