Conheça as diferenças do apadrinhamento afetivo e financeiro

Você sabia que só no Brasil, mais 8 milhões de crianças vivem em situação de privação, exclusão e vulnerabilidade? Isso significa que esses meninos e meninas não possuem acesso à alimentação adequada, educação, saúde e nem lazer. Os dados são alarmantes, mas nós podemos ajudar a fazer a diferença na vida de pequenos que foram privados do básico. Por meio do apadrinhamento afetivo, adultos podem ajudar e acompanhar a vida desses pequenos. Além disso, existe outra forma de apadrinhamento, o financeiro que é também é operado pelo ChildFund Brasil. Se você tem dúvidas sobre o significado desses compromissos, nós te explicamos.

O que é apadrinhamento afetivo?

O apadrinhamento afetivo consiste em acompanhar a vida de um menino ou menina, gerando um convívio familiar a esta. O padrinho ou a madrinha se relaciona com a criança apadrinhada e promove passeios, atividades ou o mesmo frequenta a escola. Lembrando que esse tipo de relação não possui nenhum vínculo jurídico, como na adoção. O intuito é conviver com esse jovem a fim de garantir o desenvolvimento da socialização e bem-estar desse pequeno. E não significa o desligamento total entre a criança e seus pais biológicos, ou seja, a responsabilidade continua sendo dos pais.

Ao se dispor a participar do apadrinhamento afetivo, a pessoa precisa antes de tudo cumprir alguns pré-requisitos. Para participar do apadrinhamento afetivo é preciso ter idade mínima de 21 anos, tempo para participar de reuniões e oficinas; envio de documentação requerida e respeito pelas regras do local onde a criança mora e convive. Em alguns casos, pode-se exigir avaliação psicológica, bem como, visitas técnicas na residência do padrinho ou madrinha.

Diferente de uma família acolhedora, o apadrinhamento afetivo não possui tempo fixo para ficar com criança. Nesse caso, a formalidade é menor e o padrinho ou a madrinha combina com os responsáveis legais da criança o período, que pode ser um dia, um fim de semana de passeio ou até férias. Já em uma família acolhedora, esta recebe a criança em por período pré-determinado, que passa a morar e conviver como se fosse parte da família, parecido com a adoção.

Sobre o apadrinhamento financeiro

Existe uma outra modalidade, que consiste no apadrinhamento financeiro. Nesse caso, permite que adultos doem ao ChildFund Brasil quantias a partir de R$ 57,00 mensais. Esse valores vão para um fundo coletivo que é investido na comunidade da criança apadrinhada. Além do apoio financeiro, o padrinho ou a madrinha pode manter contato com jovem por meio de telefonemas, cartas ou até visitas. O intuito sempre é oferecer um futuro melhor para as crianças apadrinhadas. Para o apadrinhamento financeiro basta selecionar, pelo site da ChildFund Brasil, o nome da criança ou adolescente, efetuar a doação ao ChildFund Brasil e acompanhar o apadrinhado (seja por meio de cartas, fotos, ligações ou até visitas).

Em ambos casos, o objetivo é transformar as vidas de crianças e adolescentes, promovendo melhores condições e garantindo um futuro mais digno. Isso só é possível com a ajuda do ChildFundBrasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *